Handebol: Brasil estreia em Paris com vitória impecável contra Espanha

© Alexandre Loureiro/COB/Direitos Reservados

A seleção brasileira feminina de handebol fez uma estreia impecável na Olimpíada de Paris ao derrotar a Espanha por 29 a 18, na Arena 6 do Complexo Esportivo Paris, pelo Grupo B. É a primeira vitória sobre as rivais em 10 anos – a última foi em um torneio internacional na casa das adversárias. O triunfo de estreia teve como protagonista: a goleira Gabi Moreschi, estreante em Jogos, que fez incríveis 14 defesas em 31 arremessos das espanholas (aproveitamento geral de 47% quando a média costuma ser de 30%).

As maiores pontuadoras no jogo de hoje foram Bruna de Paula e Patrícia, com seis gols cada. A seleção volta à quadra contra a Hungria, no domingo (28), às 4h (horário de Brasília). A seleção está no “grupo da morte”, considerado o mais difícil da competição. Terá ainda pela frente a França, atual campeã olímpica e mundial, e a Holanda, campeã mundial em 2021. O último jogo da fase de grupos será contra Angola. Na Chave A estão Noruega, Alemanha, Eslovênia, Suécia, Dinamarca, República da Coreia do Sul.

As brasileiras, comandadas pelo técnico Cristiano Rocha, dominaram a partida desde o início. A defesa bem fechada não deu espaço para a Espanha jogar, e facilitou o ataque brasileiro. Destaque para Bruna de Paula, Larissa, Tamires e Patrícia que anotaram três gols cada, ajudando a seleção a abrir vantagem 15 a 10 antes do intervalo.

No segundo tempo, o Brasil não tirou o pé do acelerador. O ataque brasileiro chegou a ter 70% de aproveitamento na etapa final e seguiu liderando o marcador mantendo ao menos nove pontos a frente, até o fim da partida, com triunfo de 29 a 18. As maiores pontuadoras do jogo foram Bruna de Paula e Patrícia, com seis gols cada.

Classificação

Na fase de grupos todas as equipes de cada chave jogam entre si. As quatro seleções mais bem colocadas em cada grupo avançam às quartas de final (jogos eliminatórios). Os vencedores jogam as semifinais e, depois haverá a disputa pela medalha de ouro e do terceiro lugar (bronze).

com informações da Agência Brasil

Caminhão tanque com gasolina pega fogo na BR-376 em Tibagi

Foto: PRF/Reprodução

Na manhã desta quinta (25), o Corpo de Bombeiros foi acionado para conter as chamas de um caminhão tanque, mais especificamente em um de seus rodados, a situação foi registrada em torno do km 423 da BR-376.

O caminhão tanque transportava gasolina em sua carga e por isso, possuía um grande risco de explosão, a pista foi totalmente interditada até que as chamas fossem contidas pelos bombeiros.

Por volta das 10h30, a pista foi totalmente liberada após o foco de incêndio ter sido contido, a pista ficou interditada por 1h30 em ambos os sentidos.

com informações da PRF

PCPR cumpre 32 mandados contra o tráfico e comércio ilegal de armas nos Campos Gerais

Foto: PCPR/Divulgação

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) cumpre 32 mandados judiciais contra uma organização criminosa envolvida no tráfico de drogas e comércio ilegal de armas de fogo em Teixeira Soares, na região dos Campos Gerais, na manhã desta quinta-feira (25).

Cerca de 50 policiais civis têm a missão de cumprir 18 mandados de prisão preventiva e 14 de busca e apreensão em Teixeira Soares, Ponta Grossa e Palmeira.

A investigação começou no início de 2024, após a prisão de um indivíduo por tráfico de drogas. Com as diligências, constatou-se o tráfico de substâncias como crack, cocaína e maconha, além do comércio ilegal de armas de fogo em municípios da região.

Foto: PCPR/Divulgação
Foto: PCPR/Divulgação

PRF apreende 325 mil maços de cigarro contrabandeados na BR-376 em PG

Foto: PRF/Divulgação

Nesta última quarta (24), por volta das 16h53, na Unidade Operacional de Ponta Grossa II (Furnas), no km 509 da B3-376, no município de Ponta Grossa, um veículo Mercedes Benz/Axor 1933 S, de cor branca e placa de Curitiba foi visualizado se aproximando da UOP e recebeu ordem de parada pela equipe.

Após isso, o motorista, um homem de 42 anos, parou o veículo 50 metros a frente do local determinado e iniciou sua fuga a pé, mas o mesmo foi alcançado e preso pela equipe da PRF.

Em vistoria, o caminhão carregava aproximadamente 650 caixas, o que seria aproximadamente 325 mil maços de cigarro, de origem estrangeira, da marca Eight.

O caminhão carregado de cigarros foi encaminhado à Receita Federal de Ponta Grossa e o autor encaminhado à Polícia Federal de Ponta Grossa. Diante das informações obtidas foram constatados, a princípio, os seguintes delitos: Contrabando e Desobediência.

com informações da PRF Ponta Grossa

Banda Casa Cantante inicia nova turnê no Paraná

Foto: Elisêngela Schmidt/Divulgação

As próximas semanas serão animadas para a Banda Casa Cantante, formada pelos músicos Juliani Ribeiro e Joãozinho, que inicia a nova circulação do show ‘Músicas para Cantar e Brincar’. Do dia 29 de julho à 4 de agosto, 15 cidades das quatro regiões do Estado irão receber a apresentação por meio de um projeto aprovado pelo Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (Profice), da Secretaria de Cultura do Estado – Governo do Estado do Paraná -, com o patrocínio da Copel e Continental, e produção da Estratégia Projetos Criativos.

Os shows serão realizados em três semanas e quinze cidades: Cruzeiro do Sul, Uniflor, Paranacity, Japira, Pinhalão, Tomazina, São João, Saudade do Iguaçu, Chopinzinho, Ipiranga, Ivaí, Carambeí, Morretes, Antonina, Guaraqueçaba e Superagui. Além das apresentações musicais, a turnê também conta com quatro oficinas afetivas, ministradas pela musicoterapeuta Juliani Ribeiro, destinadas a gestantes e mães com bebês de colo atendidas pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). A proposta é trabalhar a afetividade através das canções, identificando a importância de criar laços afetivos e memórias entre mães e filhos. 

“As apresentações são mais do que uma forma de divertir as crianças, são também uma forma ensinar e de criar laços entre todos os presentes. Tivemos ótimas experiências com a turnê em Ponta Grossa, onde passamos por 15 escolas municipais, e mal podemos esperar para levar as canções a outros lugares”, comenta a vocalista.

A primeira parada será na segunda-feira, dia 29 de julho, na cidade de Cruzeiro do Sul, na quadra esportiva da Escola, às 8h30 e 10h. Na sequência, a banda segue para Uniflor, onde se apresenta na quadra de esportes da cidade, às 14h e 15h30. 

Para Joãozinho, a rotina de apresentações é pesada, porém muito gratificante.

“Ficamos muito felizes em poder levar essas canções especiais para nós para outras regiões, algumas não conhecidas por nós”, explica o compositor.

Um dos locais que receberá pela primeira vez uma apresentação da Banda é a ilha de Superagui, uma travessia que precisará ser feita por barco.

“Poder levar a turnê para a ilha foi uma surpresa! É muito gratificante ter esse incentivo para levar música e cultura para uma região que acaba não recebendo muitos projetos pela distância”

Músicas para Cantar e Brincar
Foto: Marcelo Pereira Leite/Divulgação

O álbum que inspirou este show, lançado em 2022, está disponível nas principais plataformas digitais e conta com as letras sincronizadas para quem deseja aprender as canções. Além disso, as músicas com as letras podem ser utilizadas também nos stories, publicações e reels do Instagram (basta procurar por Banda Casa Cantante). Todas as informações estão disponíveis no perfil da banda. 

O repertório inclui composições autorais sobre afeto, como em ‘O Amor nos Faz Iguais’ e ‘Colecione Lembranças’; fauna e flora, com as canções ‘Vagalume Lume’ e ‘Lobo Guará’; e cantigas de rodas tradicionais com uma nova roupagem, como ‘Caranguejo’, ‘Peixe Vivo’ e ‘A Canoa Virou’. A proposta do CD é fazer com que crianças e adultos possam dançar e cantar, ao mesmo tempo que auxilia no processo pedagógico de aprendizado e musicalização.

Apresentações
  • 29/07 – Cruzeiro do Sul
  • 29/07 – Uniflor
  • 30/07 – Paranacity
  • 31/07 – Japira
  • 01/08 – Pinhalão
  • 02/08 – Tomazina
  • 05/08 – São João
  • 05/08 – Saudade do Iguaçu
  • 06/08 – Chopinzinho
  • 07/08 – Ipiranga
  • 08/08 – Ivaí
  • 09/08 – Carambeí
  • 12/08 – Morretes
  • 13/08 – Antonina
  • 14/08 – Guaraqueçaba
  • 15/08 – Superagui

PRF realiza a maior apreensão de cigarros eletrônicos do país em 2024, no Paraná

Foto: PRF/Reprodução

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu um carregamento de 129 mil cigarros eletrônicos, em Vitorino (PR), na noite de ontem (23), dia do Policial Rodoviário Federal. Os produtos, que possuem venda ilegal no Brasil desde 2009, eram transportados em um caminhão.

Ao ser abordado, o caminhoneiro de 30 anos, informou aos policiais que o caminhão estava vazio. Mas após verificação, a equipe constatou a carga com cigarros eletrônicos de diversos tipos. O condutor foi preso e encaminhado para a Polícia Federal em Guarapuava (PR), juntamente com o veículo e a mercadoria apreendida, para o registro do crime de contrabando.

Posteriormente o condutor informou que pegou os cigarros em Céu Azul (PR) e levaria até Pato Branco (PR).

O Paraná é o estado que mais apreende este tipo de contrabando no país e também foi responsável pela segunda maior apreensão de cigarro eletrônico do ano, com 100 mil unidades apreendidas em Santa Terezinha de Itaipu (PR), em maio.

da PRF

Fiocruz encontra tubarões contaminados com cocaína no Rio de Janeiro

© Divugação/IOC/Fiocruz

Em fato inédito no mundo, o Instituto Oswaldo Cruz, da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), detectou a contaminação de tubarões por cocaína e seu metabólito, a benzoilecgonia. O estudo identificou a presença de cocaína em 13 animais da espécie Rhizoprionodon lalandii, popularmente conhecida como tubarão-bico-fino-brasileiro, cação rola rola ou cação-frango. Os resultados foram publicados na revista científica Science of The Total Environment, informou a Fiocruz nesta terça-feira (23). De acordo com a fundação, o dado chama atenção para a alta quantidade da droga que é consumida e descartada no mar via esgoto sanitário.

O principal metabólito da substância, a benzoilecgonina, resultante da metabolização da cocaína no organismo, foi encontrada em 12 desses animais. O material foi coletado no Recreio dos Bandeirantes, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro, entre setembro de 2021 e agosto de 2023, como parte de um esforço para avaliação da saúde ambiental. O objetivo era acompanhar mudanças no ambiente, tanto as ocorridas de forma natural como pela interferência humana, bem como seus impactos sobre as diversas formas de vida marinha.

Esgoto

Especialistas brasileiros analisam a presença de vírus e bactérias no esgoto para identificar e mensurar a possível circulação silenciosa de microrganismos causadores de doenças. Do mesmo modo, são comuns estudos da contaminação do solo e da água por metais e pesticidas, como mercúrio, chumbo e arsênio, que interferem na saúde de pessoas, animais e ambiente de forma direta.

A primeira pesquisa a encontrar cocaína em tubarões, entretanto, foi essa do IOC/Fiocruz. “No Brasil, estudos já detectaram a contaminação de água e alguns poucos seres aquáticos por cocaína, como mexilhões. Nossa análise é a primeira a encontrar a substância em tubarões”, afirmou o farmacêutico Enrico Mendes Saggioro, um dos líderes da pesquisa, junto com a bióloga Rachel Ann Hauser-Davis, ambos do Laboratório de Avaliação e Promoção da Saúde Ambiental do IOC.

Segundo Rachel, os tubarões desempenham papel importante no ecossistema marinho, assim como as raias. Por serem predadores, a bióloga esclareceu que se trata de figuras centrais na cadeia alimentar e são assumidos como espécies sentinela para detecção de danos ambientais, incluindo diferentes formas de contaminação.

O Laboratório do IOC tem feito importantes alertas ambientais, a partir de estudos que identificaram a contaminação por metais em peixes do Rio Doce, no Espírito Santo, após a tragédia causada pelo rompimento da barragem da mineradora Samarco; e em cações e raias coletados no Rio de Janeiro.

Drogas e crime

Relatório mundial sobre drogas, publicado em 2024 pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC, do nome em inglês), situa o Brasil entre os maiores consumidores globais de cocaína. Estudos sinalizam que a principal via de chegada da droga no ambiente marinho é pelo descarte de resíduos da substância no esgoto lançado no mar.

Enrico Mendes Saggioro explica que a partir dessa constatação no território nacional, o grupo de pesquisa decidiu investigar se os animais que o laboratório havia coletado para estudos, envolvendo outros contaminantes, também estariam contaminados por cocaína. “O resultado é impressionante. Encontramos a substância em todos os 13 tubarões analisados e em apenas um deles não foi detectado a benzoilecgonina, que é o principal metabólito da droga”, afirmou o farmacêutico. Foram analisados o músculo e o fígado dos animais, dos quais três eram machos e dez fêmeas.

De acordo o IOC/Fiocruz, todas as amostras de músculo e fígado testaram positivo para a presença de cocaína. Já a benzoilecgonina foi detectada em 12 amostras de músculo e em duas de fígado. A concentração média de cocaína nos animais foi três vezes maior que a concentração do metabólito. Uma hipótese dos pesquisadores para explicar esse dado é a superexposição dos animais à substância. Outro achado que intrigou os especialistas foi a maior concentração de cocaína nos músculos do que no fígado dos animais analisados.

Saggioro informou que o fígado do tubarão é um órgão de metabolização, como no ser humano. “Tudo que é ingerido é transformado pelo fígado para depois ser excretado. Para nossa surpresa, a cocaína foi encontrada em maior concentração no músculo, que é um tecido de acúmulo, o que pode sinalizar a abundância da presença da substância no ambiente marinho. Os tubarões estariam se contaminando de diversas formas, seja pelo fato de habitarem a região ou se alimentarem de outros animais contaminadas”, explica. Rachel acrescentou que a equipe pretende, a partir de agora, coletar e analisar amostras de água e de outros animais dessa e de outras regiões da costa do Rio de Janeiro.

As amostras foram analisadas na Seção Laboratorial Avançada de Santa Catarina (SLAV/SC), unidade ligada ao Laboratório Nacional Agropecuário do Rio Grande do Sul, que integra a Rede Nacional de Laboratórios Agropecuários do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Essa etapa foi conduzida pelo farmacêutico e bioquímico Rodrigo Barcellos Hoff, que atua no SLAV/SC.

Contaminação

Rachel Ann Hauser-Davis alertou para a necessidade de serem realizados estudos específicos para determinar as consequências exatas dessa contaminação nos animais. Ela acredita que pode haver impacto no crescimento, na maturação e, em especial, na fecundidade dos tubarões, já que o fígado atua no desenvolvimento de embriões. A espécie de tubarão analisada vive próxima à costa e não tem característica migratória. Isso leva os pesquisadores a acreditar que foram contaminados no litoral carioca. Além disso, a zona oeste do Rio é a região que mais cresce na capital fluminense e, também, a mais populosa, com quase 3 milhões de habitantes, segundo o censo demográfico de 2022.

Tanto Rachel como Enrico defendem que sejam feitos novos estudos para responder se a cocaína encontrada em animais marinhos pode ter reflexos negativos na saúde humana. Pesquisa recente da Universidade Federal de São Paulo e Universidade Santa Cecília, em São Paulo, apontou altas concentrações de cocaína na água da Baía de Santos, sinalizando que a droga pode causar problemas nas células e no material genético de mexilhões.

A bióloga lembrou que tubarões, muitas vezes, são comercializados irregularmente com o nome popular de cação. “Já encontramos diversos metais tóxicos em cações e raias, que também são vendidos e consumidos. Agora, detectamos cocaína em tubarões. A poluição e a contaminação do meio ambiente afetam diretamente os animais e a natureza, e também impactam, de uma forma ou de outra, a vida humana. A saúde de um está ligada à saúde do outro”, destacou.

A pesquisa foi realizada em parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (Ensp/Fiocruz), Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Setor Laboratorial Avançado em Santa Catarina (SLAV/SC), Instituto Museu Aquário Marinho do Rio de Janeiro (IMAM/AquaRio) e Cape Eleuthera Institute (Bahamas). O trabalho teve financiamento da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 

da Agência Brasil

Em busca de emprego? Não perca as vagas em Ponta Grossa em 25/07!

SINE PONTA GROSSA

HORÁRIO DE ATENDIMENTO DAS 8:00 ÁS 16:00 HORAS. NÃO INFORMAMOS VAGAS POR TELEFONE Utilize as ferramentas digitais como o aplicativo sine fácil e o site:servicos.mte.gov.br RUA DOUTOR COLARES, 354

291 VAGAS PARA QUINTA-FEIRA 25/07/2024

VAGAS SEM EXPERIÊNCIA

  • Auxiliar de desenvolvimento infantil
  • Auxiliar de linha de produção
  • Auxiliar de vidraceiro
  • Eletrotécnico
  • Farmacêutico
  • Trabalhador de fabricação de sorvete
  • Zelador

VAGAS COM EXPERIÊNCIA

  • Açougueiro
  • Ajudante de carga e descarga de mercadoria
  • Analista de redes e de comunicação de dados
  • Analista fiscal (economista)
  • Armador de ferros
  • Atendente balconista
  • Atendente de balcão
  • Atendente de lanchonete
  • Auxiliar administrativo
  • Auxiliar de almoxarifado
  • Auxiliar de cozinha
  • Auxiliar de dobrador (metais)
  • Auxiliar de expedição
  • Auxiliar de limpeza
  • Auxiliar de mecânico diesel (exceto de veículos automotores)
  • Auxiliar de padeiro
  • Auxiliar financeiro
  • Camareira de hotel
  • Carpinteiro
  • Caseiro
  • Chacareiro – exclusive conta própria e empregador
  • Chapista de lanchonete
  • Comprador
  • Consultor de vendas
  • Coordenador de vendas (restaurante)
  • Copeiro de hotel
  • Cozinheiro geral
  • Desenhista projetista mecânico
  • Eletricista
  • Eletricista de instalações
  • Eletricista de instalações industriais
  • Eletricista de manutenção em geral
  • Eletricista de manutenção industrial
  • Encarregado de produção (indústria de madeira e mobiliário)
  • Encarregado eletricista de instalações
  • Gerente comercial
  • Gerente de restaurante
  • Inspetor de qualidade
  • Instalador de película solar (insulfilm)
  • Instrutor de aprendizagem em transportes
  • Mecânico de automóvel
  • Mecânico de manutenção de caminhão a diesel
  • Mecânico de manutenção de máquinas, em geral
  • Mecânico montador
  • Montador de andaimes (edificações)
  • Motorista carreteiro
  • Motorista de caminhão
  • Motorista de caminhão-guincho pesado com munk
  • Motorista de carga a frete
  • Motorista entregador
  • Operador de empilhadeira
  • Operador de máquinas operatrizes
  • Operador de retro-escavadeira
  • Padeiro
  • Pedreiro
  • Recepcionista de hotel
  • Roçador – na cultura
  • Salgadeiro
  • Soldador
  • Técnico mecânico
  • Torneiro cnc
  • Vendedor interno
  • Vendedor pracista
  • Zelador

 VAGAS COM EXPERIÊNCIA PCD

  • Oficial de serviços gerais na manutenção de edificações

 VAGAS SEM EXPERIÊNCIA PCD

  • Conferente de logística
  • Operador de caixa
  • Repositor de mercadorias

 VAGAS PARA ESTÁGIO

  • Auxiliar de desenvolvimento infantil

Obituário em Ponta Grossa, 24/07

Obituário de Ponta Grossa

Alcy Antonio Marochi

Cemitério: São José

Velório: Capela São Francisco

Ayrton de Andrade

Cemitério: Santa Luiza 

Velório: Capela do Luto Santana

Luiz Paes

Cemitério: Municipal de Jaguariaiva

Velório: Em Outro Município, Capela Municipal de Jaguariaíva

Maria de Lourdes Marinho

Cemitério: Nossa Senhora do Rosário

Velório: Em Outro Município, Capela da Funerária Iapo

Sebastião da Silva

Cemitério: São Vicente de Paula

Velório: Capela Municipal São José

Paraná envia bombeiros para ajudar no combate a incêndios no Pantanal

Paraná envia bombeiros para ajudar no combate a incêndios no Pantanal | Foto: Gabriel Rosa/AEN

O Paraná enviou 12 bombeiros militares na manhã desta quarta-feira (24) para auxiliar no combate a incêndios florestais no Pantanal, no Mato Grosso do Sul (MS). São quatro integrantes de cada Comando Regional de Bombeiro Militar (CRBM), com sedes em Curitiba, Londrina e Cascavel, e que compõem a Força-Tarefa de Resposta a Desastres, a mesma que atuou no Rio Grande do Sul durante as fortes chuvas que atingiram o estado gaúcho neste ano.

Além do recurso humano, foram enviadas quatro viaturas equipadas para combate a incêndios florestais e equipamentos extras, como motobomba de combate a incêndio, mangueiras e abafadores.

Neste primeiro momento, a equipe deve permanecer em ação durante 14 dias, sendo quatro dias de deslocamento (entre ida e volta) e 10 dias de combate aos incêndios. Após esse período, um novo contingente será enviado para substituí-los, com previsão de que esse rodízio mobilize três equipes, contabilizando 30 dias de atuação contra o incêndio. O contingente paranaense poderá ser maior, a depender da necessidade.

Segundo o chefe da equipe, capitão Alexandre Mançano Cavalca, o auxílio ao estado vizinho não prejudicará em nada o atendimento no Paraná.

“A nossa Corporação é preparada para isso, através da Força-Tarefa de Resposta a Desastres, em que temos equipamentos extras que ficam reservados para isso e, dessa forma, podemos auxiliar os desastres pelo Brasil e até pelo mundo, sem prejudicar o atendimento operacional aqui no Estado”, explicou.

“Estamos levando todo o equipamento de combate a incêndio, com bombas, mangueiras, esguichos, material de comunicação e logístico necessários para a operação. A ideia é que a gente não precise utilizar o material dos bombeiros militares do Mato Grosso do Sul. A nossa proposta é justamente auxiliar os outros estados dentro das operações sem prejudicar a unidade operacional tanto do Paraná quanto das equipes de resposta de lá”, complementou.

Os 12 bombeiros militares que estão indo para a operação passaram por qualificações para atendimento a desastres, com capacitações e habilidades específicas para esse tipo de atendimento, entre elas especialização em combate a incêndios florestais, pilotos de drone, pilotos de embarcação, socorristas, além de capacidade física específica para esse tipo de operação.

MISSÃO – A equipe paranaense tem como destino Corumbá (MS), que possui atualmente os maiores focos de incêndio na área correspondente ao bioma. De acordo com o último boletim, divulgado pelo governo federal em 23 de julho, a cidade teve, de janeiro até 21 de julho, 457.975 hectares de área queimada, quase quatro vezes a área do segundo município mais afetado, Cáceres, no Mato Grosso, com 115.050 hectares. Para termos de comparação, é como se 10 cidades do tamanho de Curitiba tivessem sido queimadas, somente na área de Corumbá.

O envio de bombeiros pelo Estado foi uma resposta ao pedido do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (LIGABOM), que reúne corporações de todo o País, incluindo a do Paraná. Outras forças estaduais e nacionais também estão mobilizadas para acabar com os incêndios no Pantanal.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Manoel Vasco de Figueiredo Junior, destaca que a pronta resposta do Paraná a eventos internos ou externos ao Estado tem sido um diferencial no apoio a desastres pelo País.

“Essa Força-Tarefa teve como objetivo principal atuar em desastres dentro do Paraná, mas pela facilidade demonstrada nesse pronto emprego, como foi no Rio Grande do Sul, quando fomos o primeiro estado a dar apoio, agora novamente somos um dos primeiros Corpos de Bombeiros em deslocamento ao Mato Grosso do Sul, por causa dessa agilidade e desse emprego da força-tarefa, que não atrapalha os serviços normais da Corporação”, ressaltou.

“O Paraná teve em 1969 um grande flagelo na área de incêndios florestais, e isso fez com que nos desenvolvêssemos bastante nesse tipo de situação. Esses 12 bombeiros estão indo para lá não simplesmente para atuar, mas também para ser multiplicadores de conhecimentos”, frisou Vasco.

PREPARO – A equipe paranaense enviada ao Mato Grosso do Sul é preparada para dar pronta resposta a esse tipo de situação. Em outubro de 2023, uma capacitação foi realizada pelo Corpo de Bombeiros Militar do Paraná (CBMPR) para dar vida à Força-Tarefa para Resgate em Desastres. Ao todo, 120 bombeiros participaram de instruções de capacitação para situações de calamidade, com simulações de cenários de atuação em enchentes e alagamentos; em áreas deslizadas; combate a incêndios florestais; e busca e resgate em estruturas colapsadas.

Foram esses os bombeiros enviados ao Rio Grande do Sul, a primeira equipe a chegar ao estado para auxiliar nos resgates e ações humanitárias, ajudando a resgatar mais de mil pessoas e 500 animais de locais de risco, a maioria ilhados pelas águas. Durante 52 dias, foram realizadas missões de resgate, busca e salvamento, ajuda humanitária, transporte de militares, médicos e donativos, entre outras atividades.

O 1º Sargento do Setor de Vistoria do Corpo de Bombeiros, Emerson José da Silva, está na primeira equipe que vai ajudar no combate ao fogo no Pantanal. Deve ser a última missão dele na Corporação.

“Eu fui convidado para participar da capacitação da Força-Tarefa já sabendo que ia me aposentar esse ano, em setembro. Fiz, até porque eu gosto de atuar, e por incrível pareça, assim que terminamos o curso, já fomos acionados para o Rio Grande do Sul. Nessas situações a gente vê que aquilo que aprendemos nós utilizamos para ajudar as pessoas no dia a dia”, contou Silva, que também participou da missão em União da Vitória no ano passado, um das cidades mais afetadas pelas chuvas no Paraná.

“É a segunda vez que eu estou indo para o Pantanal. Foi uma experiência enriquecedora para mim e com isso consegui trazer de lá a oportunidade de ensinar e orientar os companheiros que estavam aqui também”, relatou.

SITUAÇÃO – Segundo o último boletim divulgado pelo Governo Federal em relação ao Pantanal, de 23 de julho, praticamente toda a área do bioma está sob risco muito alto ou extremo de incêndios. O relatório também aponta que nos meses de maio e junho todos os incêndios no bioma foram causados por ação humana. Não há registro de queimadas causadas por raios no período.

O relatório aponta também, com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que 2024 concentra, até o momento, o maior número de focos de calor na comparação com o mesmo período do ano passado, com 4.089, e também na comparação com 2020, ano com o maior número de focos de calor da série histórica.

O Pantanal está em chamas há, pelo menos, três meses, sendo que Corumbá concentra 68,5% dos focos de calor no bioma neste ano. O Paraná já esteve envolvido no combate a incêndios florestais no Pantanal em 2020, com a mobilização de 74 bombeiros. Antes, em 2019, o CBMPR já havia participado de operação semelhante na Amazônia.

da AEN

Categorias

Pontagrossauros 😂

Ria com os melhores memes de Ponta Grossa e região.

Dê uma volta ao passado com fotos de lugares marcantes em PG.

Confira a agenda de eventos de Ponta Grossa.